Cartilhas

A presente cartilha traz conhecimentos básicos de fitoterapia para profissionais de saúde e usuários do SUS-Campinas, referendada por literatura especializada e documentos oficiais para o uso terapêutico de vinte espécies de plantas medicinais, que têm estudos científicos comprovando sua atividade terapêutica (eficiência) e segurança. Estas vinte espécies de plantas medicinais foram escolhidas por serem facilmente cultivadas em hortos caseiros na região de Campinas e se encontram elencadas por...
Esta cartilha tem como propósito informar os gestores, profissionais de saúde e usuários, o elenco de plantas medicinais contempladas na RENAME – Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (BRASIL, 2013) e na REESME – Relação Estadual de Medicamentos Versão Ambulatorial (PERNAMBUCO, 2014). Os cuidados recomendados antes do preparo, manipulação e da utilização de plantas medicinais são destacados.
Esta cartilha é fruto da experiência e do trabalho de muitas pessoas. Sua publicação foi viabilizada pelo Projeto “Capacitação de Profissionais da Atenção Básica de Florianópolis”, do Ministério da Saúde de 2013. Contribuíram para seu nascimento profissionais e gestores da rede municipal de saúde (SUS Florianópolis); professores, técnicos e estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); apoiadores do Horto Didático de Plantas Medicinais do Hospital Universitário da UFSC e...
Este guia prático para " Remèdes traditionnels de plantes médicinales caribéennes” foi produzido a partir dos seguintes materiais bibliográficos: a Farmacopeia Vegetal Caribbean TRAMIL 2ª Edição, o livreto prático Rimèd Razyé editado com a colaboração do Arquipélago das Ciências e o site da Rede TRAMIL (www.tramil.net).
O Guia Introdução à Fitoterapia é a primeira publicação de uma série, que vai apresentar plantas medicinais estudadas cientificamente. As informações aqui reunidas sobre Botânica, Agronomia, Farmacologia, Constituição Química e Utilização Terapêutica destas plantas foram compiladas da literatura nacional e estrangeira.
O Programa de Fitoterapia de Campinas, implantado em 1990 e oficializado pela Portaria 13/01, de novembro de 2001, foi um dos pioneiros no Brasil e colaborou para a construção da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, criada pelo decreto da presidência da República de n.º 5.813, em 23 de junho de 2006. O objetivo dessa política é “garantir à população brasileira o acesso seguro e o uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos, promovendo o uso sustentável da...
Esta cartilha apresenta-se o propósito de recuperar a sabedoria popular da região semiárida e trazer a público esse conhecimento do uso de plantas desse bioma na cura de sua população, além da conscientização da necessidade de preservação dessas espécies dada pela sua grande utilização. A cartilha contempla 50 espécies vegetais indicadas aos seres humanos e 14 para animais domésticos. É necessário alertar que esta cartilha não pretende substituir as formas de tratamento de saúde oferecida...
Cientes do compromisso com o uso racional de medicamentos e em consonância com as diretrizes da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS, no que tange às plantas medicinais e fitoterápicos, é que elaboramos este manual. As diretrizes estimulam a elaboração de material para divulgação e informação dos conhecimentos básicos da fitoterapia para profissionais de saúde, gestores, usuários do SUS e população em geral. E é com este objetivo que reunimos informações sobre...
A elaboração deste material representa a concretização de um projeto idealizado pela Diretoria do CRF-SP com o intuito de oferecer informações sobre as várias áreas de atuação do profissional farmacêutico, em linguagem acessível e com diagramação moderna. As Cartilhas são desenvolvidas por profissionais que atuam nas respectivas áreas abrangidas pelas Comissões Assessoras do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP), a saber: Acupuntura - Medicina Tradicional Chinesa;...
As plantas medicinais e seus derivados são recursos terapêuticos utilizados pela população brasileira nos cuidados primários a saúde. E portanto, durante a pandemia de COVID-19 as plantas medicinais podem ser muito úteis para combater os males que vêm com o isolamento social, como depressão ansiedade e insônia. Essa cartilha também traz plantas que atuam no sistema respiratório e na imunidade.
O objetivo deste trabalho é fornecer a teoria para implantação de hortas e apresentar as políticas nacionais de plantas medicinais e alimentação.
Essa publicação é fruto da nossa oficina “Plantas medicinais e práticas tradicionais utilizadas pelos indígenas de São Gabriel da Cachoeira (AM) no combate à Covid-19”, realizada pela Associação dos Artesãos Indígenas de São Gabriel da Cachoeira (ASSAI) entre os dias 1 e 3 de setembro de 2020.
É o produto da Dissertação do Curso de Mestrado Profissional em Saúde da Criança e do Adolescente (CMPSCA) da Universidade Estadual do Ceará (UFCE).
A presente cartilha faz parte de uma série de títulos de interesse nacional que compõem a coleção SENAR. Ela representa o comprometimento da instituição com a qualidade do serviço educacional oferecido aos brasileiros do campo e pretende contribuir para aumentar as chances de alcance das conquistas a que cada um tem direito.
Com base no primeiro manual de divulgação do TRAMIL-Panamá de 2005, sob a direção de Pablo Solís, em colaboração com o Ministério da Saúde e o CIFLORPAN, este trabalho visa estender essas informações a toda a Bacia do Caribe de Língua Espanhola para o uso de Plantas Medicinais ao nível da Atenção Primária à Saúde.
Dessa maneira, todos os setores do poder público local se articulam em torno do Programa Farmácia Viva, que somado ao diálogo com os demais parceiros, garantirá sua estruturação com a eficácia desejada. Desejamos que a cartilha ora apresentada seja um instrumento de ampliação e multiplicação do conhecimento, bem como de garantia da segurança no uso das plantas medicinais. Vamos usar da melhor maneira possível as riquezas naturais que estão ao nosso redor e compõe o ambiente em que vivemos. 
O CTA-ZM, fundado em 1987, é uma organização da sociedade civil que promove a Agroecologia como estratégia para o desenvolvimento social e econômico da agricultura familiar. Atuando no assessoramento, na defesa e na garantia de direitos (através de programas e projetos que trabalham para o fortalecimento das famílias agricultoras, dos movimentos sociais e das organizações da sociedade civil), o CTA busca a formação e a capacitação de lideranças para intervir de forma autônoma e qualificada nas...
A cartilha visa complementar estas atividades em torno do cultivo orgânico, plantas medicinais, temperos; hábitos saudáveis de alimentação e educação ambiental. Seu conteúdo agrega informações importantes e esclarecedoras, com linguagem simples e acessível à população sobre como adquirir as plantas medicinais, seu reconhecimento, a forma de preparo e sua utilização.
O livro é feito por pessoas que trabalham pelo centenário. Com a contribuição do: TRADIF-Cuba, Meio Ambiente e Desenvolvimento, UAG, Ministério francês do MINSAP e Laboratório Central de Farmacologia da Universidade Médica de Havana.