Cinnamomum zeylanicum Blume

Canela e canela-do-Celião.

Sinonímia 
Cinnamomum verum J. Presl
Família 
Informações gerais 

Originária do Ceilão, e é uma planta muito utilizada como condimento e medicinal. No Brasil encontra-se bem adaptada, principalmente nos estados do Sul do país. Suas principais indicações são: antisséptica, antiviral, antibacteriana, antidiarreica, antioxidante, hipoglicemiante, antialérgica, cardiotônica, orexígena, antidispéptica, antiespasmódica e carminativa[1,2,3].

Referências informações gerais
1 - FERRO, D. & PEREIRA, A. M. S. Fitoterapia: Conhecimentos tradicionais e científicos, vol. 1. 1 ed. São Paulo: Bertolucci, 2018, p. 237-244.
2 - CAMARGO, M. T. L. A. As plantas medicinais e o sagrado: a etnofarmacobotânica em uma revisão historiográfica da medicina popular no Brasil. 1 ed. São Paulo: Ícone, 2014. p. 41.
3 - BARNES, J. et al. Plantas medicinales. 1 ed. Barcelona: Pharma Editores, S.L., 2005, p. 124-125.
Descrição da espécie 

Arbórea, perenifólia, de crescimento lento, de até 12 m de altura, de copa densa e arredondada; tronco de casca parda escura e irregular; folhas simples, ovaladas e lanceoladas, aromáticas, ápice agudo, pecíolo longo, nervuradas, verde escuro brilhante e muito coriácea, de até 12 cm de comprimento; flores brancas, diminutas, em inflorescências axilares e paniculadas; frutos ovoides, tipo drupa, escuros, que medem cerca de 1 a 1,5 cm de comprimento e são utilizados para a propagação da espécie, contendo uma única semente elipsoide[1].

Referências descrição da espécie
1 - FERRO, D. & PEREIRA, A. M. S. Fitoterapia: Conhecimentos tradicionais e científicos, vol. 1. 1 ed. São Paulo: Bertolucci, 2018, p. 238. 
Nome popular Local Parte da planta Indicação Modo de preparo Forma de uso Restrição de uso Referências
Árvore de canela Palestina Casca

Hipoglicemiante.

Decocção, infusão ou in natura.

-

-

[ 1 ]
Canela Sydney (Austrália) -

Hipoglicemiantte.

-

-

-

[ 2 ]

Referências bibliográficas

1 - ALI-SHTAYEH, M. S. et al. Complementary and alternative medicine use amongst Palestinian diabetic patients. Complement Ther Clin Pract, v. 18, n. 1, p.16-21, 2012. doi: 10.1016/j.ctcp.2011.09.001 
2 - MANYA, K, et al. The use of complementary and alternative medicine among people living with diabetes in Sydney. BMC Complement Altern Med, v. 12, p.1-5, 2012. doi: 10.1186/1472-6882-12-2

Angiogênica e Antitumoral

Angiogênica e Antitumoral
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso. Dose para ensaio (in vivo): 0,3 mg/g.

In vitro:

Em linhagens celulares de câncer de mama (MDA-MB-231), células de glioma humano (U251) e células endoteliais vasculares umbilicais humanas (HUVEC) submetidas a avaliação da expressão gênica do fator de crescimento endotelial vascular (VEGF).

 

In vivo:

Em ratos SCID inoculados com células cancerígenas de ovário humano (SKOV3).

O extrato de C. zeylanicum apresenta atividade angiogênico e antitumoral, pois reduz a produção de VEGF e a expressão do gene HIF-1α.

[ 10 ]

Anti-hipertensiva e Hipocolesterolemiante

Anti-hipertensiva e Hipocolesterolemiante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato metanólico: 800 g do material vegetal (pó) em 3 L de metanol. Rendimento: 5,6%. Doses para ensaio: 5, 10 e 20 mg/kg, e 300 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de hipertensão arterial aguda ou crônica induzida por L-NAME, submetidos a aferição da pressão arterial, análise histológica do coração e aorta, determinação do perfil lipídico e do conteúdo tecidual de óxido nítrico (NO).

O tratamento com extrato de C. zeylanicum demonstrou atividade anti-hipertensiva, dose-dependente, revertendo a depleção de NO e prevenindo danos no tecido, além de apresentar ação hipocolesterolemiante.

[ 62 ]

Anti-hipertensiva e Vasorelaxante

Anti-hipertensiva e Vasorelaxante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: 300 g do material vegetal (pó) em 3 L de água. Rendimento: 4,42%. Doses para ensaio: 5, 10 e 20 mg/kg.

In vitro:

Em anéis da aorta torácica de ratos Wistar normotensos e hipertensos (espontâneos, induzida por NaCl ou L-NAME) tratados com extrato vegetal.

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividades anti-hipertensiva e vasorelaxante.

[ 66 ]

Anti-inflamatória

Anti-inflamatória
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico. Dose para ensaio: 0,8 mg casca de canela/kg.

In vivo:

Em ratos Balbc/J portadores de doença inflamatória intestinal tratados com o extrato vegetal, e submetidos a análise morfológica e histológica do tecido colônico, expressão de mediadores pró-inflamatórios e proteínas de junção.

Observou-se que C. zeylanicum apresenta atividade anti-inflamatória, em modelo murino de colite.

[ 43 ]
Casca

Extrato etanólico: 1:5. Concentrações para ensaio: 0,1 a 10 µL/mL.

In vitro:

Em mastócitos RBL-2H3 ou hiMC tratados com extrato vegetal para avaliar a liberação e expressão de mediadores pró-inflamatórios (cysLT, CXCL8, MCP-1 e β-hexosaminidase).

 

O extrato de C. zeylanicum reduz a liberação e expressão de mediadores pró-inflamatórios em mastócitos.

[ 82 ]
-

Extrato: 4 g do material vegetal (pó) em solvente (diclorometano, acetato de etila, etanol e água).

In vitro:

Em macrófagos RAW 264.7 tratados com LPS e IFN-γ para avaliar a produção de óxido nítrico (NO) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-α), e determinação da viabilidade celular.

 

Observou-se que os extratos de C. zeylanicum apresentam atividade anti-inflamatória, principalmente, com acetato de etila, contudo este extrato apresentou maior toxicidade.

[ 51 ]

Anti-inflamatória e Antifibrótica

Anti-inflamatória e Antifibrótica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: 1:5 (em álcool à 70%). Dose para ensaio: 4,5 mL/kg.

In vitro:

Em fibroplasto intestinal humano incubado com extrato vegetal, com posterior avaliação da expressão de mRNA.

 

In vivo:

Em camundongos IL-10-/-Balbc/J portadores de colite tratados com o extrato vegetal, com posterior excisão do tecido colônico e isolamento do RNA.

O extrato de C. zeylanicum apresenta atividades anti-inflamatória e antifibrótica.

[ 8 ]

Anti-inflamatória e Antioxidante

Anti-inflamatória e Antioxidante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato: 10 g do material vegetal (pó) em metanol ou etanol. Doses para ensaio: 1, 2 e 4 mg/kg (para cada extrato).

In vitro:

Determinar a atividade antioxidante através do radical DPPH e em linfócitos para avaliar a atividade da superóxido dismutase (SOD).

 

In vivo:

Em camundongos BALB/c submetidos a atrite reumatoide induzida por colágeno bovino tipo II e tratamento com extrato vegetal, e com posterior análise morfológica, histológica e de expressão proteica (CAPN1, TNF-α e NFATc3).

Observou-se que os extratos de C. verum apresentam atividade anti-inflamatória e antioxidante, principalmente na dose de 4 mg/kg.

[ 39 ]
-

Extrato aquoso (infusão ou decocção): 1 g de Cinnamomum zeylanicum, Myristica fragrans ou 0,1 g de Eugenia aromatica em 25 mL de água.

In vitro:

Simulação do processo digestivo (extratos preparados por decocção), determinação da atividade antioxidante (radical ABTS), do conteúdo fenólico total e da atividade anti-inflamatória (COX).

 

Observou-se que o processo de cozimento e digestão podem alterar, principalmente a capacidade antioxidante e a quantidade de compostos fenólicos totais dos extratos vegetais em estudo.

[ 20 ]

Antiangiogênica

Antiangiogênica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Pó. Extrato aquoso.

In vitro:

Avaliar a atividade do receptor da tirosina-quinase (VEGFR2), e a proliferação celular em linhagens celulares endoteliais vasculares humana e bovina, e em células tumorais humanas (mama e cólon).

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade antiangiogênica, pois inibe o receptor VEGFR2, a proteína tirosina-quinase, bem como a via de sinalização mediada por Stat3.

[ 29 ]

Antibacteriana

Antibacteriana
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Óleo essencial.

In vitro:

Em cepas de Porphyromonas gingivalis incubadas com o óleo vegetal, com posterior determinação da concentração inibitória mínima (MIC), da integridade da membrana celular e avaliação de biofilmes.

 

O óleo essencial de C. zeylanicum apresenta atividade antibacteriana, com MIC = 6,25 µL/mL, sendo promissor para o tratamento de doenças periodontais.

[ 2 ]
Casca

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Eugenia caryophyllata (botão floral), Origanum vulgare (planta com flor), Thymus vulgaris (folha e flor) e Thymus zygis (folha e flor).

In vitro:

Em linhagens de Salmonella Typhimurium e Salmonella Enteritidis para determinação da concentração inibitória mínima (MIC) e concentração bactericida mínima (CBM) dos óleos vegetais.

 

O óleo essencial de C. zeylanicum foi mais efetiva para a linhgem S. Typhimurium, portanto, as espécies O. vulgare, T. vulgaris e Thymus zygis apresentaram atividade antibacteriana mais potentes.

[ 37 ]
-

Óleo.

In vitro:

Em linhagens de Salmonella entérica para determinar a concentração inibitória mínima (MIC), concentração e índice inibitório fracionado (CIF e ICIF) do óleo vegetal isolado ou em associação com antibióticos (enrofloxacina, ceftiofur ou sulfametoxazol-trimetroprim).

 

Observou-se sinergismo, principalmente, na combinação do óleo de C. zeylanicum com enrofloxacina, com isso houve, redução na dose do antibiótico, bem como dos efeitos adversos.

[ 4 ]
Casca

Óleo. Rendimento: 0,93% ± 0,23. Pasta de polietilenoglicol (PEG 400): 3:2 (p/v).

In vitro:

Avaliar a atividade antimicrobiana das pastas contendo óleo vegetal, hidróxido de cálcio ou associação de Ciprofloxacino, Metronidazol e Minociclina, através do teste de microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (MIC) e quantificação da concentração bactericida mínima (CBM) em linhagem de Enterococcus fecalis, em 108 pré-molares mandibulares permanentes humanos também infectados por E. fecalis.

 

A pasta contendo a associação de antibióticos apresentou os menores valores de MIC e MBC, portanto a atividade antibacteriana em pré-molares, ocorreu após 7 e 14 de tratamento, tanto para a pasta de C. zeylanicum quanto de antibióticos.

[ 11 ]
-

Óleo. Outras espécies em estudo: Eugenia caryophyllus e Thymus satureioides.

In vitro:

Em linhagens de Haemophilus ducreyi tratadas com o óleo vegetal submetidas ao teste de microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração letal mínima (CLM).

 

Os óleos das espécies vegetais apresentaram atividade antibacteriana, com MIC = 0,05 a 0,52 mg/mL e CLM = 0,1 a 0,5 mg/mL.

[ 18 ]
Casca

Extrato etanólico: material vegetal (pó) em etanol à 50%. Outras espécies em estudo: Ocimum sanctum (folha) e Syzygium aromaticum (broto). Concentrações para ensaio: 1 a 20% para S. aromaticum e C. zeylanicum, e 1 a 40% para O. sanctum.

In vitro:

Em cepas de Enterococcus faecalis submetidas aos testes de disco-difusão em ágar, microdiluição, susceptibilidade a biofilme em membrana de nitrato de celulose e em modelo dental.

 

Os extratos de C. zeylanicum e S. aromaticum apresentaram atividade antibacteriana mais potente, se comparado ao de O. sanctum, contudo não foram superiores a ação do hipoclorito de sódio.

[ 21 ]
Casca

Cinnamomum zeylanicum e Syzygium aromaticum (botão floral): 1 g (pó)/5 mL (etanol à 50%). Allium sativum (bulbo): 80 g (in natura)/100 de água. Rosmarinus officinalis, Persea americana e Argemone mexicana (folhas): maceração de 5 g (pó)/80 mL metanol à 100%.

In vitro:

Em duas linhagens de Moraxella cattarhalis submetidas aos ensaios de disco-difusão em ágar e microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e concentração bactericida mínima (CBM) dos extratos vegetais em estudo.

 

Observou-se que os extratos de A. sativum, C. zeylanicum e P. americanum, apresentaram atividade antibacteriana mais potentes.

[ 26 ]

Antibacteriana e Cicatrizante

Antibacteriana e Cicatrizante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Folha

Microemulsão: 6% de óleo essencial, Tweem 20 e água. (v/v). Dose para ensaio (irritação e excisão cutânea): 5 mL.

In vitro:

Em cepas de Staphylococcus aureus para avaliar a cinética de morte microbiana e alterações morfológicas por microscopia eletrônica de varredura.

 

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos ao teste de irritação cutânea após aplicação da microemulsão ou óleo isoladamente, e a excisão cutânea de 300 mm2 para avaliar o processo de cicatrização.

Observou-se que a microemulsão contendo óleo de C. zeylanicum apresentou atividade antibacteriana e cicatrizante, mais potentes, quando comparado ao óleo isoladamente.

[ 63 ]

Antibacteriana e Citotóxica

Antibacteriana e Citotóxica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico. Concentrações para ensaio: 10 a 100 µg/mL; e 2 a 100 mg/mL.

In vitro:

Em linhagens celulares de câncer de mama (MDA-MB-231) e células epiteliais renais de macaco verde africano (Vero) para testes de citotoxicidade e fragmentação do DNA, e em cepas de Staphylococcus aureus e Escherichia coli submetidas ao teste de disco-difusão em ágar para determinação a concentração inibitória mínima (CIM).

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresentou atividade citotóxica e apoptótica apenas para a linhagem MDA-MB-231 (IC50 = 25 µg/mL), e ação antibacteriana contra S. aureus (10 mg/mL).

[ 38 ]
Casca

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Pelargonium graveolens (erva) e Lavandula angustifolia (flor).

In vitro:

Em linhagens de Acinetobacter baumanii isoladas de materiais e ambiente hospitalar, para avaliar a concentração inibitória mínima (CIM) do óleo vegetal, e em células endoteliais microvasculares humanas HMEC-1 e linhagem de glioblastoma (T98G) para avaliar a viabilidade celular pelo ensaio MTT.

 

Observou-se atividade antibacteriana principalmente para o óleo essencial de C. zeylanicum (MIC = 0,5 a 2,5 µL/mL), e atividade citotóxica para HMEC-1 (canela e lavândula) e T98G (gerânio e canela).

[ 17 ]
-

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Mentha spicata, Zingiber officinale, Citrus limonum, Citrus paradisi, Jasminum grandiflora, Lavandula stoechas, Anthemis nobilis, Thymus vulgaris e Rosa centifolia.

In vitro:

Em cepas de Propionibacterium acnes submetidas aos testes de disco-difusão em ágar, microdiluição em água para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração bactericida mínima (MBC), e teste de citotoxicidade pelo método MTT em células de carcinomas humano (pulmão, próstata e mama).

 

Observou-se que os óleos essenciais de T. vulgaris e C. zeylanicum apresentaram atividades antibacteriana e citotóxica mais potentes.

[ 28 ]

Antifúngica

Antifúngica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Pó ou casca (in vitro): 300 mg/mL. Pastilhas (in vivo).

In vitro:

Em linhagens de Candida albicans resistentes ao fluconazol.

 

In vivo:

Em 5 pacientes portadores de HIV e candidíase oral tratados com pastilhas contendo canela.

Observou-se que o pó de C. zeylanicum apresentou melhor atividade antifúngica, com MIC ≤ 15 mg/mL, quando comparado a casca. Em pacientes tratados com pastilhas por 7 dias, houve melhora no quadro de candidíase oral, contudo apresentou efeitos adversos.

[ 1 ]
-

Óleo essencial. Concentrações para ensaio: 50 a 3200 µg/mL. Outras espécies em estudo: Origanum vulgare, Lippia graveolens, Thymus vulgaris, Salvia officinalis, Rosmarinus officinalis, Ocimum basilicum e Zingiber officinale.

In vitro:

Em cepas de Candida glabra sensíveis ou resistentes ao fluconazol submetidas ao teste de microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e concentração fungicida mínima (CFM) do óleo vegetal.

 

O óleo essencial de C. zeylanicum foi efetivo para as linhagens sensíveis e resistentes ao fluconazol, na concentração de 400 a 3200 µg/mL, enquanto que as espécies T. vulgaris, S. officinalis, R. officinalis, O. basilicum e Z. officinale não apresentaram atividade antifúngica.

[ 12 ]
-

Óleo essencial. Concentração: 512 µL/mL. Outras espécies em estudo: Citrus limon, Juniperus communis, Eucalyptus citriodora, Gaultheria procumbens, Melaleuca alternifolia, Origanum majorana, Salvia sclarea e Thymus vulgaris.

In vitro:

Em cepas de Fisarium spp. submetidas ao teste de diluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) do óleo de canela.

 

Observou-se que o óleo essencial de C. zeylanicum apresentou atividade antifúngica mais potente, com MIC = 31,25 a 500 µg/mL.

[ 13 ]
Casca

Extrato metanólico: 100 g do material vegetal (pó) em metanol. Concentrações para ensaio: 1 e 2 g/kg. Outras espécies vegetais em estudo: Zingiber officinale, Heracleum persicum, Elettaria cardamomum, Salvia officinalis, Calendula officinalis, Myrtus communis e Mentha spicata.

In vitro:

Em linhagens fúngicas de Trichophyton mentagrophytes, T. interdigitale, Microsporum canis e M. gypseum submetidas ao teste de microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração fungicida mínima (CFM).

 

In vivo:

Em porquinhos-da-Índia submetidos a infecção dérmica por T. mentagrophytes e M. canis inoculados em uma área de 3 cm2.

Observou-se que as espécies C. zeylanicum e Myrtus communis apresentaram atividade antifúngica potente em ambos os ensaios, com MIC = 0,0625 a 0,125 e CFM = 0,0625 a 1,51, e MIC = 0,058 a 0,099 e CFM = 0,058 a 0,217, respectivamente.

[ 15 ]
-

Extrato metanólico: 30 g do material vegetal (pó) em 100 mL de metanol à 80%. Concentrações para ensaio: 2,5 a 30%. Outras espécies em estudo: Thymus vulgaris, Caryophillium aromaticus, Echinophora platyloba e Allium cepa.

In vitro:

Em linhagens de Candida albicans submetidas ao teste de disco-difusão em ágar, e microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (MIC) e concentração fungicida mínima (CFM).

 

O extrato de C. zeylanicum apresentou atividade antifúngica mais potente entre as espécies vegetais, com MIC50 = 18 µg/mL, MIC90 = 32 µg/mL e CFM = 52 µg/mL.

[ 49 ]
-

Óleo essencial. Concentração: 5% (v/v). Outras espécies em estudo: Boswellia thurifera, Citrus Bergamia, Citrus aurantium amara, C. bigaradia, C. limonum, C. maxima, Commiphora myrrha, Copaifera officinalis, Eucalyptus globulus, Juniperus virginiana, Pogostemon patchouli, Salvia officinalis, Santalum album, Thymus vulgaris e Zingiber officinale.

In vitro:

Em cepas de Candida parapsilosis e C. orthopsilosis (isoladas de biofilme), submetidas à ensaios para determinação da concentração inibitória mínima (CIM), concentração fungicida mínima (CFM), concentração mínima de redução de biofilme (CMRB) e associação de anfotericina com óleo de C. zeylanicum.

 

Observou-se que o óleo de C. zeylanicum apresentou atividade antifúngica mais potente, com MIC = 250 e 500 µg/mL, CMRB = 1000 e 2000 µg/mL, CIFB (concentração inibitória da formação de biofilme) > 250 µg/mL, contudo, não houve sinergismo significativo quando associado à anfotericina.

[ 27 ]
-

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Lippia graveolens, Ocimum basilicum, Origanum vulgare, Rosmarinus officinalis, Salvia officinalis, Thymus vulgaris e Zingiber officinale.

In vitro:

Em cepas de Candida spp. sensíveis e resistentes ao fluconazol submetidas ao teste de microdiluição em ágar para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração fungicida mínima (CFM).

 

Observou-se que o óleo essencial de C. zeylanicum apresentou atividade antifúngica, principalmente para o grupo C. albicans e C. non-albicans sensíveis ao fluconazol, contudo, O. vulgare apresentou atividade antifúngica mais potente entre as espécies em estudo.

[ 31 ]
-

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Aniba rosaeodora, Laurus nobilis e Sassafras albidum.

In vitro:

Em linhagens fúngicas de Aspergillus spp., Alternaria alternata, Aureobasidium pullulans, Penicillium ochrochloron, Trichoderma viride, Fusarium spp., Phoma macdonaldii, Phomopsis helianthi e Mucor mucedo submetidas ao teste de micro e macrodiluição para determinar a concentração inibitória mínima (CIM) e a concentração fungicida mínima (CFM).

 

Observou-se que o óleo de C. zeylanicum apresentou atividade antifúngica mais potente, quando comparado as outras espécies vegetais deste estudo.

[ 33 ]

Antileucêmica

Antileucêmica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato aquoso. Concentrações para ensaio: 0,01, 0,1, 1 e 2 mg/mL.

In vitro:

Em linhagem humana de leucemia mielóide aguda (THP-1) incubadas com o extrato vegetal, e submetidas aos ensaios MTT, citometria de fluxo e coloração de Hoechst 33342.

 

Observou-se que o extrato aquoso de C. zeylanicum induz a apoptose na linhagem celular em estudo, principalmente nas concentrações de 0,1 e 2 mg/mL.

[ 16 ]

Antimicrobiana

Antimicrobiana
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: 30 g do material vegetal (pó) em etanol. Gel base (50 g): contento 0,1 e 0,5% dos extratos vegetais (Cinnamomum zeylanicum, Azadirachta indica-folha, Ocimum sactum-folha, Tamarindus indica-fruto, Curcuma longa-raiz e Allium sativum-bulbo).

In vitro:

Em cepas de Staphylococcus aureus, Bacillus subtilis, Aspergillus niger e Escherichia coli submetidas ao teste disco-difusão em ágar.

 

Observou-se que o gel contendo 0,5% dos extratos vegetais apresentou atividade antimicrobiana mais potente.

[ 6 ]

Antimicrobiana e Citotóxica

Antimicrobiana e Citotóxica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Óleo essencial: hidrodestilação.

In vitro:

Em cepas de Staphylococcus aureus, Streptococcus spp., Enterococcus spp., Bacillus cereus, Acinetobacter lwoffii, Enterobacter aerogenes, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Proteus mirabilis, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella typhimurium, Clostridium perfringens, Listeria spp., Mycobacterium smegmatis e Candida spp. submetidas aos testes de disco-difusão em ágar, microdiluição em água para determinar a concentração inibitória mínima (CIM), e em fibroblastos embrionários normais (5RP7) e transformados (F2408) de ratos, para determinar a citotoxicidade.

 

Observou-se que o óleo essencial de C. zeylanicum apresentou atividade antimicrobiana, principalmente para Enterococcus spp., Escherichia coli e Candida albicans, e citotoxicidade significativa, para células F2408.

[ 68 ]

Antinociceptiva

Antinociceptiva
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: 100 g do material vegetal em etanol. Rendimento: 50 g/kg. Doses para ensaio: 200 e 400 mg/kg. Outras espécies em estudo: Aloe vera (mucilagem), Apium graveolens (semente), Beta vulgaris (raiz), Eucalyptus camaldulentis (folha), Jasminum officinale (flor), Mentha piperita (folha), Ruta graveolens (folha), Lactuca sativa (semente) e Commiphora molmol (resina).

In vivo:

Em camundongos Swiss submetidos ao teste de contorções induzidas por ácido acético, placa quente, edema de orelha induzido por xileno e granuloma induzido por “pellets” de algodão.

Neste estudo, das 11 espécies vegetais, Mentha piperita, Cinnamomum zeylanicum, Apium graveolens, Eucalyptus camaldulentis, Ruta graveolens, Jasminum officinale, Commiphora molmol e Beta vulgaris apresentam atividade antinociceptiva e anti-inflamatória.

[ 79 ]

Antioxidante

Antioxidante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Suspensão aquosa: contendo 0,25% de canela. Outra espécie em estudo: Elettaria cardamomum (0,5%).

In vivo:

Em camundongos Swiss portadores de câncer de cólon induzido por azoximetano (AOM), com posterior análise da glutationa-S-transferase (GST) e peroxidação lipídica (TBARS).

As suspensões aquosas de C. zeylanicum e E. cardamomum apresentaram atividade antioxidante, pois aumenta os níveis de GST e reduz a peroxidação lipídica.

[ 71 ]
Casca

Pó: 1,0 g. Associação das espécies para preparação da suspensão: 0,5 g de Piper nigrum (fruto), 1,0 g de Cuminum cyminum (semente), 0,5 g de Elettaria cardamomum, 1,0 g de Zingiber officinale (rizoma), 0,5 g de Myristica fragrans (fruto), 0,5 g de Eugenia caryophyllus (botão floral), 0,5 g de Cinnamomum tamala (folha) e 1,0 g de Trigonella foenum-graecum (semente). Doses para ensaio: 10, 30 e 50 mg.

In vivo:

Em ratos Wistar suplementados com dieta hipercalórica para avaliar os parâmetros bioquímicos (TBARS, GSH, SOD, CAT, GPX e GST).

Observou-se que a suspensão em estudo, restabelece o equilíbrio oxidante e antioxidante.

[ 72 ]
Casca

Óleo essencial: hidrodestilação.

In vitro:

Em microssomas hepáticos de ratos Wistar subtidos a nitração e peroxidação lipídica induzidos por peroxinitrito.

 

O óleo essencial de C. zeylanicum apresenta atividade antioxidante, com IC50 = 18,4 µg/mL (nitração) e 2,0 µg/mL (peroxidação lipídica).

[ 75 ]
Casca

Pó. Dose para ensaio: 10%. Outra espécie em estudo: Amomum subulatum (semente).

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos a dieta hipercalórica e tratamento com pó vegetal, com posterior excisão do coração e fígado, para avaliar parâmetros bioquímicos (GSH, SOD, CAT, GPx, GST, GR, G6PD, ácidos graxos livres, concentração proteica e atividade antioxidante).

As espécies vegetais deste estudo apresentaram atividade antioxidante.

[ 78 ]

Pó. Dose para ensaio: 75 mg/kg. Outra espécie em estudo: Zingiber officinale (raiz), 100 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de diabetes induzido por estreptozotocina, submetidos a avaliação de parâmetros espermatogênicos (testosterona sérica, LH, FSH e análise dos espermatozoides) e antioxidativos (CAT, MDA, SOD, GPX e catalase). 

O sinergismo entre canela e gengibre apresentou atividade antioxidante potente, favorecendo a espermatogênese, bem como a viabilidade e motilidade dos espermatozoides em ratos diabéticos.

[ 53 ]
Casca

Extrato hidroalcoólico. Doses para ensaio: 100, 200 e 400 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar tratados com escopolamina (SCOP), submetidos a avaliação de aprendizagem, memória e desempenho cognitivo, e de marcadores de estresse oxidativo no tecido cerebral (MDA e GSH).

O extrato de C. zeylanicum apresentou atividade antioxidante, além de reduziu o comprometimento cognitivo induzido por SCOP.

[ 57 ]

Antioxidante e Antiapoptótica

Antioxidante e Antiapoptótica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: decocção de 10 g do material vegetal (pó) em 100 mL de água. Doses para ensaio: 200 e 400 mg/kg.

In vitro:

Determinar a atividade antioxidante (radicais DPPH e ABTS).

 

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos ao tratamento com acetaminofeno e extrato vegetal, e posterior análise hematológica, histopatológica e imuno-histoquímica.

Observou-se que o pré-tratamento com extrato de C. zeylanicum apresenta atividades antioxidante e antiapoptótica, reduzindo os danos oxidativos em células renais.

[ 35 ]

Antioxidante e Cardioprotetora

Antioxidante e Cardioprotetora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico (96%). Doses para ensaio: 50, 100 e 200 mg/kg.

In vitro:

Determinação da atividade antioxidante através do radical DPPH.

 

In vivo:

Em ratos Sprague-Dawley submetidos a isquemia-reperfusão por oclusão da artéria coronária descendente anterior para avaliar as funções hemodinâmicas, o tamanho do infarto, eletrocardiograma, e análise de marcadores de lesão cardíaca (LDH e cTnI) e enzimas antioxidantes (SOD, GPX, CAT e MDA).

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade antioxidante e cardioprotetora, reduzindo a arritmia e as lesões cardíacas.

[ 36 ]

Antiparasitária

Antiparasitária
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico. Foram analisadas neste estudo 46 espécies vegetais.

In vitro:

Em parasitas de humanos, Ascaris lumbricoides incubados com o extrato vegetal.

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresentou atividade antiparasitária, assim como as espécies Alpinia galanga, Andrographis paniculata, Citrus decumana, Desmodium triflorum, Hydnocarpus wightiana, Kaempfaria galanga, Lippia nodiflora, Morinda citrifolia, Pollia serzogonian, Tephrosia purpuria e Zingiber zerumbeth.

[ 81 ]
-

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Citrus limon, Cymbopogon nardus, Corymbia citriodora, Eucalyptus globulus, Eugenia uniflora, Myrocarpus frondosus e Rosmarinus officinalis. Concentrações para ensaio: 0 a 300 µg/mL.

In vitro:

Em formas epimastigotas de Trypanosoma cruzi incubadas com os óleos vegetais e submetidas ao ensaio MTT, e em células Vero infectadas com as formas tripomastigotas e amastigotas, incubadas com os óleos vegetais e ensaio de metaciclogênse.

Em células Vero incubadas com os óleos vegetais, com posterior análise de citotoxicidade através do ensaio MTT.

 

Observou-se que o óleo essencial de C. verum apresenta atividade antiparasitária mais potente, com CI50 = 24,13, 5,05 e 20,00 µg/mL, para as formas epimastiogas, tripomastigotas e amastigotas, respectivamente, além de citotoxicidade insignificativa até 39,65 µg/mL.

[ 25 ]

Antiproliferativa e Anti-inflamatória

Antiproliferativa e Anti-inflamatória
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Óleo.

In vitro:

Em cultura de fibroblastos dérmicos humanos submetidos a inflamação crônica e fibrose, e análise da expressão gênica por Microarray.

 

O óleo de C. zeylanicum apresentou atividades antiproliferativa e anti-inflamatória.

[ 7 ]

Biossíntese de colágeno

Biossíntese de colágeno
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato. Concentrações para ensaio de viabilidade celular: 0 a 100 µg/mL.

In vitro:

Em células fibroblásticas derivadas da pele humana (NB1RGB) submetidas ao ensaio de viabilidade e expressão do gene COL1A1, por RT-PCR quantitativo em tempo real.

 

O extrato de C. zeylanicum possui atividade antienvelhecimento, pois induz a biossíntese do colágeno (alfa-1 tipo I), além de não apresentar citotoxicidade.

[ 23 ]

Cicatrizante

Cicatrizante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: maceração de 100 g do material vegetal (pó) em 500 mL de etanol à 90%. Rendimento: 15,30%. Suspensão aquosa: 5% extrato vegetal e 2% de tragacanto. Doses para ensaio: 250 e 500 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos a feridas por incisões paravertebrais de 6 cm de comprimento, excisões circulares cutâneas dorsais de 500 mm2 e teste de espaço morto.

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade cicatrizante.

[ 77 ]

Hepatoprotetora e Nefroprotetora

Hepatoprotetora e Nefroprotetora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: 20 g do material vegetal (pó) em 200 mL de água. Dose para ensaio: 200 mg/kg.

In vivo:

Em camundongos Balb/c submetidos a lesões agudas renais e hepáticas induzidas por acetaminofeno, após tratamento com extrato vegetal.

A análise bioquímica e histopatológica demonstrou que o pré-tratamento com extrato de C. zeylanicum apresenta atividades antioxidante, hepatoprotetora e nefroprotetora.

[ 34 ]

Hipocolesterolemiante

Hipocolesterolemiante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Pó: 0,05% canela. Outras espécies em estudo: Cuminwn cyminum, Zingiber officinale, Brassica nigra e Tamarindus indica. Dose para ensaio: 1,25, 0,04, 0,25 e 0,5-2,5%, respectivamente.

In vivo:

Em ratos Wistar suplementados com dieta hipercalórica, com posterior avaliação do colesterol sérico e hepático.

Observou-se que a associação de C. zeylanicum, C. cyminum, Z. officinale, B. nigra e T. indica não reduz os níveis de colesterol.

[ 80 ]

Hipoglicemiante

Hipoglicemiante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: decocção de 10 g do material vegetal (seco) em 500 mL de água. Rendimento: 3520 mg/10 mg. Outras espécies em estudo: Laurus nobilis (folha), Sideritis montana (folha), Vaccinium macrocarpon (fruto), Hibiscus sabdariffa (flor), Cyclopia genistoides (folha), Rosmarinus officinalis (folha), Syzygium aromaticum (botão floral), Phaseolus vulgaris (vagem), Camellia sinensis (folha) e Ribes nigrum (folha).

In vitro:

Determinar a atividade inibitória da enzima α-amilase humana na presença do substrato 2-cloro-4-nitrofenil-β-D-maltoheptosídeo (CNP-G7) e do extrato vegetal, através da Cromatografia de Alta Eficiência (CLAE).

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum inibe a atividade enzimática, reduzindo a liberação de glicose de alimentos contendo amido. Resultados semelhantes foram encontrados para C. sinensis, R. nigrum, L. nobilis, V. macrocarpon e S. aromaticum.

[ 5 ]
Casca

Extrato aquoso: 98,5 g do material vegetal (pó) em água (5:1). Concentração: 25 mg/mL. Concentrações para ensaio: 0,2, 0,3 e 0,4 mg/mL.

In vitro:

Em adipócitos 3T3 LI submetidos a avaliação da captação de glicose e secreção de adiponectina.

 

O extrato de C. zeylanicum aumenta a captação de glicose, principalmente na concentração de 0,2 mg/mL, contudo, inibiu a secreção de adiponectina.

[ 73 ]
Casca

Extrato. Dose para ensaio: 5,96 mg/kg. Outra espécie em estudo: Cinnamomum cassia (casca).

In vitro:

Em células INS-1 submetidas a análise quanto a liberação de insulina.

 

In vivo:

Em ratos Wistar suplementados com extrato vegetal, submetidos a análise de glicemia basal, insulina plasmática e teste de tolerância à glicose (TTG).

Observou-se que C. zeylanicum apresenta atividade hipoglicemiante, contudo, a espécie C. cassia demonstrou maior efetividade. 

[ 76 ]
-

Extrato metanólico: 1 g do material vegetal (pó) em 10 mL de metanol. Concentração: 20 mg/mL.

In vitro:

Em enzima α-amilase pancreática suína incubada com o extrato vegetal, com posterior análise colorimétrica para avaliar a atividade biológica, associado a métodos cromatográficos (HPLC-HRMS-SPE-NMR).

 

Observou-se que C. zeylanicum tem ação inibitória para a enzima α-amilase.

[ 54 ]
Casca

Extrato aquoso: 250 g do material vegetal em 2500 mL de água. Concentração para ensaio (in vitro): 30 µg/mL.

In vivo:

Em ratos diabéticos tipo 2 (OLETF) e não diabéticos (LETO) tratados com extrato vegetal, submetidos aos testes de tolerância à glicose e à insulina.

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade hipoglicemiante, contudo, não houve aumento da sensibilidade à insulina.

[ 58 ]
Casca

Extrato hidroalcoólico e aquoso: padronização de 40% de polifenóis. Doses para ensaio (in vivo): 6,25, 12,5, 25, 50 e 100 mg/kg.

In vitro:

Avaliar a atividade inibitória da enzima α-amilase pancreática.

 

In vivo:

Em ratos Wistar Han IGS tratados com os extratos vegetais e submetidos a avaliação de parâmetros bioquímicos.

Observou-se que o extrato hidroalcoólico de C. zeylanicum inibe a atividade da enzima α-amilase (IC50 = 25 µg/mL) e apresenta ação hipoglicemiante, dose-dependente, sendo mais potente quando comparado ao aquoso.

[ 59 ]

Hipoglicemiante e Hiperglicemiante cerebral

Hipoglicemiante e Hiperglicemiante cerebral
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato.

In vivo:

Em ratos C57BL/6J obesos ou não, suplementados com o extrato vegetal, e submetidos a medições eletrocorticográficas (após aplicação de insulina intracerebroventricular), da atividade locomotora e do gasto energético.

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum melhora a sensibilidade de insulina no cérebro, aumentando a atividade motora, além de reduzir a glicemia e os níveis de gordura hepática.

[ 19 ]

Hipoglicemiante e Nefroprotetora

Hipoglicemiante e Nefroprotetora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: 250 g do material vegetal em 2500 mL de água. Doses para ensaio: 3, 30 e 100 mg/kg.

In vitro:

Em tecido adiposo marrom (BAT), músculo gastrocnêmio e adipócitos 3T3LI para detectar a expressão das proteínas UCP-1 (termogenina) e GLUT4 (transportadora de glicose).

 

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de diabetes induzido por estreptozotocina, submetidos a avaliação de parâmetros bioquímicos e histoquímica renal.

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade antidiabética, independente da insulina, principalmente na dose de 100 mg/kg, e nefroprotetora.

[ 67 ]
Casca

Óleo essencial: hidrodestilação (500 g do material vegetal). Doses para ensaio: 5, 10 e 20 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de diabetes induzido por aloxana, submetidos a avaliação de parâmentros bioquímicos, oxidativos e histopatologia renal.

Observou-se que o óleo essencial de C. zeylanicum apresentou atividades hipoglicemiante, antioxidante e nefroprotetora.

[ 69 ]

Hipolipemiante

Hipolipemiante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato aquoso. Dose para ensaio: 400 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos ao tratamento crônico com o extrato vegetal, para avaliar a atividade de receptores, a expressão proteica e os genes-alvos envolvidos na lipogênese.

O extrato de C. zeylanicum tem ação redutora da lipogênese, reduzindo os níveis plasmáticos e tecidual de lipídeos.

[ 48 ]
Casca

Extrato aquoso e metanólico. Doses para ensaio: pó - 0,25, 0,50 e 0,75 g/kg; extratos - 0,75 g/kg.

In vivo:

Em coelhos albinos portadores de hiperlipidemia induzida e tratados com pó ou extrato (aquoso ou metanólico) de canela.

Observou-se que o extrato metanólico de C. zeylanicum apresentou atividade antihiperlipidemica mais potente, seguidamente do pó nas concentrações de 0,50 e 0,75 g/kg.

[ 24 ]

Hipolipemiante e Antioxidante

Hipolipemiante e Antioxidante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato hidroalcoólico: contendo 18,41% de compostos fenólicos totais. Dose para ensaio: 100 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos a dieta rica em lipídeos, e tratados com extrato vegetal, com posterior análise bioquímica, do dialdeído malônico (MDA), da capacidade antioxidante (ABTS e SOD), e da expressão de SREBP-1c, LXRs, ACLY, FAS, NF-κB p65, PPARα, p-IRS-1, Nrf-2 e HO-1.

O extrato de C. zeylanicum apresentou atividades hipolipidêmica, antioxidante e anti-inflamatória.

[ 40 ]

Hipolipemiante e Hipoglicemiante

Hipolipemiante e Hipoglicemiante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato. Outras espécies em estudo: Prunus dulcis, Malus domestica, Citrus aurantium, Hamamelis virginiana, Tilia tomentosa, Vitis vinifera e Betula alba.

In vivo:

Em ratos Wistar submetidos a dieta rica em sacarose (HFS) e suplementados com extrato vegetal, com posterior avaliação dos parâmetros bioquímicos e quantificação da esteatose hepática.

Os extratos de M. domestica e C. zeylanicum apresentaram efeito antiobesogênico mais potente, bem como atividade hipoglicêmica.

[ 64 ]

Metabolismo ósseo

Metabolismo ósseo
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: 100 mg do material vegetal em 1 mL de etanol à 99,5%. Doses para ensaio: 12,5, 25 e 50 µg/mL.

In vitro:

Em macrófagos RAW 264.7 tratados com RANKL e extrato vegetal, para avaliar a produção e expressão de biomarcadores envolvidos no metabolismo ósseo (TRAP e NFATc1).

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade inibitória da osteoclastogênese.

[ 70 ]

Nefroprotetora

Nefroprotetora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Pó. Extrato etanólico. Dose para ensaio: suplementação com 3% de canela.

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de diabetes induzido por estreptozotocina submetidos a análise de parâmetros bioquímicos, e de marcadores glomerulares (imuno-histoquímica, imunoblotting e qRT-PCR).

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade nefroprotetora, devido a inibição da glicação avançada.

[ 56 ]

Neuroprotetora

Neuroprotetora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Pó. Dose para ensaio:100 mg/kg.

In vivo:

Em camundongos C57BL/6 portadores de Encefalomielite Autoimune Experimental (EAE) induzida por MOG35-55.

Observou-se que C. verum apresenta atividade neuroprotetora, pois favorece a regulação dos níveis do fator neutrófilo ciliar (CNTF).

[ 46 ]
-

Pó. Doses para ensaio: 25, 50, 100 e 200 mg/kg.

In vivo:

Em ratos 5B6 TCR Tg (PLP139-151) infectados por toxina pertussis (modelo de esclerose múltipla recidivante-remitente), em camundongos SJL/J submetidos a infecção com toxina pertussis, e em camundongos C57BL/6 portadores de Encefalomielite Autoimune Experimental (EAE) induzida por MOG35-55 e infectados por toxina pertussis (modelo de EAE crônica) para avaliar o funcionamento das células T reguladoras (Tregs).

Observou-se que C. zeylanicum tem ação neuroprotetora, pois aumenta os níveis de Tregs, reduzindo assim os sintomas clínicos da EAE.

[ 52 ]
-

Pó. Dose para ensaio: 200 mg/kg.

In vivo:

Em camundongos C57/BL6 submetidos a dieta com pó de canela.

Observou-se que C. zeylanicum apresenta atividade neuroprotetora, pois aumenta os níveis do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF).

[ 22 ]
-

Pó. Extrato aquoso. Rendimento: 7%.

In vitro:

Em proteína Tau submetida ao teste de agregação e em microtúbulos isolados de cérebro bovino, tratados com extrato vegetal.

 

Observou-se que C. zeylanicum possui atividade neuroprotetora, pois inibe a agregação proteica e a formação de filamentos, além de não apresentar toxicidade para células normais.

[ 30 ]

Neuroprotetora e Antioxidante

Neuroprotetora e Antioxidante
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Pó. Dose para ensaio: 100 mg/kg.

In vivo:

Em camundongos transgênicos 5XFAD portadores de doença de Alzheimer tratados com pó de canela e submetidos a avaliação do tecido neural.

Observou-se que C. zeylanicum tem ação neuroprotetora e antioxidante, pois reduz o estresse oxidativo no hipocampo através da supressão da proteína p21rac, e da fosforilação da proteína Tau, além de reduzir os níveis de peptídeos beta-amiloide.

[ 14 ]

Neurotônica

Neurotônica
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Pó. Dose para ensaio: 50 mg/kg.

In vivo:

Em ratos C57/Bl6 submetidos aos testes de labirinto de Barnes e em T elevado.

Observou-se que C. verum possui ação tônica cerebral, estimulando a memória, devido a estimulação da plasticidade sináptica no hipocampo, contudo, não houve alteração significativa na atividade locomotora.

[ 41 ]
Casca

Extrato aquoso: maceração de 250 g do material vegetal (pó) em água. Rendimento: 5,6% (p/p). Doses para ensaio: 50, 100 e 200 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar portadores de demência tipo Alzheimer induzida por estreptozotocina, e submetidos a avaliação de parâmetros bioquímicos, comportamentais e locomoção, aos testes de reconhecimento de objetos (ORT) e do labirinto aquático de Morris (MWM).

O extrato aquoso de C. zeylanicum apresenta atividade tônica cerebral e antioxidante, principalmente nas doses de 100 e 200 mg/kg, melhorando a memória e o déficit cognitivo.

[ 55 ]

Osteogênica indutora

Osteogênica indutora
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico. Concentrações para ensaio: 5, 10 e 25 µg/mL. Outras espécies em estudo: Syzygium aromaticum (casca) e Salvia triloba (flor).

In vitro:

Em tecido pulpar permanente humano para análise de proliferação e diferenciação em sistema xCELLigence, e determinação da atividade imunomoduladora após tratamento com fator de necrose tumoral (TNF-α).

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum apresenta atividade osteogênica indutora, principalmente na concentração de 10 µg/mL, o extrato de S. aromaticum um potente estimulador de ostecalcina, e S. triloba com atividade anti-inflamatória significativa, através da redução de citocinas IL-6.

[ 3 ]

Relaxante muscular

Relaxante muscular
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato hidroalcoólico: 500 g do material vegetal (pó) em água/etanol (50:50). Rendimento: 9%. Concentrações para ensaio: 10, 15 e 20 mg/mL.

In vivo:

Em ratas Wistar em estágios metaestro ou diestro, submetidas ao isolamento de tiras uterinas com endométrio, para avaliar a contratilidade da musculatura lisa na presença de cloreto de potássio (KCl), oxitocina (OT) e Bay K8644.

O extrato de C. zeylanicum reduz a força de contração uterina, dose-dependente.

[ 45 ]

Repelente de insetos

Repelente de insetos
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Óleo essencial. Outras espécies em estudo: Cuminum cyminum (semente), Cyperus scariosus (parte aérea), Curcuma longa (rizoma), Juniperus macropoda (fruto), Ocimum basilicum (folha), Rosmarinus officinalis (parte áerea), Nigella sativa (semente), Pimpinella anisim (semente) e Zingiber officinale (rizoma).

In vivo:

Em mosquitos Anopheles stephensi, Aedes aegypti e Culex quinquefasciatus submetidos ao teste de repelência com determinação da dose repelente (RD95).

O óleo essencial de C. zeylanicum apresentou atividade repelente mais potente para as três espécies de mosquitos, com RD95 (mg/peso) = 49,6 (A. stephensi), 53,9 (A. aegypti) e 44,2 (C. quinquefasciatus).

[ 74 ]
Casca

Óleo essencial. Associação com as espécies: Cymbopogon citrullus (folha) e Eucalyptus globulus (folha).

In vivo:

Em mosquitos Aedes albopictus para avaliar a repelência aos óleos vegetais, e em ratos Wistar submetidos ao teste de toxicidade de inalação aguda (análise hematológica, bioquímica e enzimática).

A associação de espécies vegetais apresentou atividade repelente e ausência toxicidade.

[ 50 ]
-

Óleo essencial. Concentrações para ensaio: 0,01, 0,1 e 1% (v/v), diluído em 1/3 de etanol e 2/3 de silicone (Dow CorningH 556®).

In vivo:

Em fêmeas adultas de Anopheles gambiae submetidas aos ensaios de repelência, irritação por contato e toxicidade.

Neste estudo 20 espécies vegetais foram analisadas, contudo, Cymbopogon winterianus, Cinnamomum zeylanicum e Thymus vulgaris, apresentaram os melhores resultados.

[ 60 ]

Sistema metabólico

Sistema metabólico
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato aquoso: 10 g do material vegetal (pó) em 100 mL de água. Dose para ensaio: 400 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar tratados com extrato vegetal, com posterior análise da expressão proteica do hormônio tireoidiano T3 em receptores hepáticos e cardíacos.

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum reduz o nível sérico de T3, bem como sua ação no tecido cardíaco.

[ 47 ]
-

Pó. Dose para ensaio: 1 g/kg.

In vivo:

Em ratos Sprague-Dawley suplementados com canela, para avaliar os metabólicos de proantocianidinas na urina e fezes.

Observou-se que os metabólitos são provenientes de reações de conjugação, sendo identificado principalmente, catequina e ácidos fenólicos.

[ 86 ]

Sistema metabólico e Função cognitiva

Sistema metabólico e Função cognitiva
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: decocção de 60 g do material vegetal (pó) em 600 mL de água. Dose para ensaio: 50 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Sprague-Dawley portadores da doença de Alzheimer induzida por L-glutamato monossódico, com posterior testes comportamentais, análises bioquímicas e experimentos estereológicos.

O extrato de C. zeylanicum favorece a modulação de alterações metabólicas e funções cognitivas.

[ 42 ]

Sistema reprodutor masculino

Sistema reprodutor masculino
Parte da planta
Extrato / RDD / Padronização
Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: decocção do material vegetal em água (1:7,5 p/v). Rendimento: 4%. Dose para ensaio: 5 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Sprague-Dawley portadores de hiperplasia prostática induzida por dipropionato de testosterona.

O extrato de C. verum foi efetivo no tratamento da hiperplasia prostática, reduzindo alterações morfológicas, histológicas, bem como os níveis de PSA e da enzima 5α-redutase.

[ 9 ]
Casca

Óleo essencial: hidrodestilação (100 g de pó/2 L água). Dose para ensaio: 100 ng/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar tratados com docetaxel (DTX), paclitaxel (PTX) e óleo vegetal, submetidos a avaliação da qualidade dos espermatozoides, integridade do DNA do esperma e atividade antioxidante.

Observou-se que o óleo de C. zeylanicum tem ação protetora do sistema reprodutor masculino, contra os danos causados por taxanos.

[ 44 ]
Casca

Óleo essencial (hidrodestilação): 100 g do material vegetal em 1,5 L de água. Dose para ensaio: 100 mg/kg.

In vivo:

Em ratos Wistar tratados com tetracloreto de carbono (CCl4) e óleo vegetal, com posterior análise morfológica e histopatológica dos órgãos do sistema reprodutor masculino, dos parâmetros de qualidade espermática, determinação de marcadores de estresse oxidativo (TBARS, MDA, catalase e rGSH) e do índice de células apoptóticas testiculares.

Observou-se que o óleo de C. zeylanicum apresenta atividade protetora do sistema reprodutor masculino, principalmente pela ação antioxidante.

[ 61 ]
Casca In vivo:

Em ratos Wistar tratados o óleo vegetal, e posterior análise morfológica e histopatológica dos órgãos do sistema reprodutor masculino, dos parâmetros de qualidade espermática, determinação de marcadores de estresse oxidativo (TBARS, MDA, catalase e rGSH) e do índice de células apoptóticas testiculares.

Observou-se que o óleo de C. zeylanicum apresenta atividade antioxidante, melhorando as funções do sistema reprodutor masculino.

[ 65 ]
Ensaios toxicológicos

Citotoxicidade

Citotoxicidade
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Óleo essencial: 100 g do material vegetal (pó). Rendimento: 1,7% (p/p). Extrato (frações): 500 g do material vegetal em solvente (benzina, clorofórmio, éter dietílico, metanol e água). Rendimentos: 1,7, 3,93, 2,20, 14,41 e 8,55% (p/p), respectivamente.

Outras espécies em estudo: Heracleum persicum (fruto), Nigella arvensis (semente) e Zingiber officinale (rizoma).

In vitro:

Em Artemia salina para determinar a citotoxicidade e a concentração letal média dos óleos e extratos vegetais.

 

Observou-se que C. zeylanicum e H. persicum apresentaram maior citotoxicidade, com CL50 = 0,03 e 0,007 µg/mL, respectivamente, contudo os extratos aquosos de todas as espécies vegetais deste estudo, demonstraram ausência de citotoxicidade.

[ 87 ]
Casca In vitro:

Em fibroblastos de ratos (L929) submetidos ao método MTT.

 

O óleo de C. zeylanicum não apresentou citotoxicidade.

[ 83 ]

Inflamação cutânea

Inflamação cutânea
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Óleo essencial.

In vivo:

Em 1 paciente com dermatite (eczematosa e bolhosa) após uso de um produto contendo óleo essencial de C. zeylanicum, submetida ao teste de contato.

A inflamação na pele pode ser devido a exposição aos constituintes químicos eugenol, álcool cinâmico e aldeído cinâmico.

[ 85 ]

Mutagenicidade

Mutagenicidade
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato: 1,9 kg do material vegetal (pó) em 10 L de solvente (benzina, clorofórmio e etanol). Rendimento: 76, 28 e 270 g.

In vitro:

Em cepas de Bacilus butilis H17 (rec+) e M45 (rec-) submetidas ao teste de mutagenicidade na presença ou ausência da fração microssomal hepática de ratos, com determinação da concentração inibitória mínima (MIC).

 

Observou-se que apenas o extrato etanólico de C. zeylanicum não apresentou mutagenicidade.

[ 32 ]

Sistema hematológico

Sistema hematológico
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Extrato: 1,2 g do material vegetal (pó) em 20 mL de solução salina. Concentrações para ensaio: 0,6, 3,75, 7,5, 15, 30 e 60 mg/mL.

In vitro:

Em amostras sanguíneas de ratos Wistar para avaliar os constituintes hematológicos através da marcação com 99mTc, bem como análise morfológica dos glóbulos vermelhos, após incubação com o extrato vegetal.

 

Observou-se que o extrato de C. zeylanicum não modifica a morfologia dos glóbulos vermelhos, contudo houve alterações nas marcações dos constituintes hematológicos.

[ 88 ]

Toxicidade aguda e crônica

Toxicidade aguda e crônica
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato etanólico: material vegetal (pó) em etanol à 95%. Outra espécie em estudo: Piper longum (fruto). Doses para ensaio: 0,5, 1,0 e 3 g/kg, e 100 mg/kg.

In vivo:

Em camundongos Swiss submetidos aos testes de toxicidade aguda e crônica.

O extrato de C. zeylanicum reduziu o peso hepático, o nível de hemoglobina e alterou os parâmetros reprodutivos masculinos, contudo não houve mortalidade aguda e crônica.

[ 90 ]

Toxicidade embrionária

Toxicidade embrionária
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
-

Óleo essencial. Dose para ensaio: 375 mg/kg. Outras espécies em estudo: Salvia officinale, Origanum vulgare, Thymus vulgaris e Syzygium aromaticum.

In vivo:

Em ratas ICR suplementadas com óleo vegetal/2 semanas (com posterior acasalamento), com recuperação dos embriões (4º dia de gestação) para análise das alterações morfológicas e de viabilidade celular (corante Hoechst 33342).

O óleo essencial de C. zeylanicum apresentou sinais de toxicidade no desenvolvimento embrionário, assim como todos os óleos neste estudo, exceto T. vulgaris.

[ 89 ]

Toxicidade na lactação

Toxicidade na lactação
Parte da planta Extrato / RDD / Padronização Modelo de ensaio in vitro / in vivo Conclusão Referências
Casca

Extrato aquoso: 1 g do material vegetal (pó) em 10 mL de água. Dose para ensaio: 400 mg/kg/dia.

In vivo:

Em ratas Wistar no período de lactação submetidas a avaliação fisiológica, e nos filhotes as alterações hormonais e metabólicas.

Observou-se que o uso do extrato de C. zeylanicum durante a lactação reduz os níveis de tecido adiposo visceral materno e nos descendentes adultos. Após o desmame houve redução dos níveis de insulina e glicose na prole, e na fase adulta observou-se alteração no perfil hormonal.

[ 84 ]

Referências bibliográficas

1 - QUALE, J. M. et al. In vitro activity of Cinnamomum zeylanicum against azole resistant and sensitive Candida species and a pilot study of cinnamon for oral candidiasis. Am J Chin Med, v. 24, n. 2, p.103-109, 1996.
2 - WANG, Y. et al. Antibacterial effects of cinnamon (Cinnamomum zeylanicum) bark essential oil on Porphyromonas gingivalis. Microb Pathog, v. 116, p.26-32, 2018. doi: 10.1016/j.micpath.2018.01.009 
3 - MENDI, A. et al. Effects of Syzygium aromaticumCinnamomum zeylanicum, and Salvia triloba extracts on proliferation and differentiation of dental pulp stem cells. J Appl Oral Sci, v. 25, n. 5, p.515-522, 2017. doi: 10.1590/1678-7757-2016-0522
4 - SOLARTE, A. L. et al. Combination of antimicrobials and essential oils as an alternative for the control of Salmonella enterica multiresistant strains related to foodborne disease. Foodborne Pathog Dis, v. 14, n. 10, p.558-563, 2017. doi: 10.1089/fpd.2017.2295
5 - TAKÁCS, I. et al. HPLC method for measurement of human salivary α-amylase inhibition by aqueous plant extracts. Acta Biol Hung, v. 68, n. 2, p.127-136, 2017. doi: 10.1556/018.68.2017.2.1
6 - BHINGE, S. D. et al. Formulation development and evaluation of antimicrobial polyherbal gel. Ann Pharm Fr, v. 75, n. 5, p.349-358, 2017. doi: 10.1016/j.pharma.2017.04.006
7 - HAN, X.; PARKER, T. L. Antiinflammatory activity of cinnamon (Cinnamomum zeylanicum) bark essential oil in a human skin disease model. Phytother Res, v. 31, n. 7, p.1034-1038, 2017. doi: 10.1002/ptr.5822
8 - HAGENLOCHER, Y. et al. Cinnamon reduces inflammatory response in intestinal fibroblasts in vitro and in colitis in vivo leading to decreased fibrosis. Mol Nutr Food Res, v. 61, n. 9, p.2-25, 2017. doi: 10.1002/mnfr.201601085
9 - CHOI, H. M. et al. Cinnamomi cortex (Cinnamomum verum) suppresses testosterone-induced benign prostatic hyperplasia by regulating 5α-reductase. Sci Rep, v. 6, p.1-12, 2016. doi: 10.1038/srep31906
10 - ZHANG, K. et al. Cinnamon extract reduces VEGF expression via suppressing HIF-1α gene expression and inhibits tumor growth in mice. Mol Carcinog, v. 56, n. 2, p.436-446, 2017. doi: 10.1002/mc.22506
11 - ABAASZADEGAN, A. et al. Antimicrobial and cytotoxic activity of Cinnamomum zeylanicum, calcium hydroxide, and triple antibiotic paste as root canal dressing materials. J Contemp Dent Pract, v. 17, n. 2, p.105-113, 2016.
12 - SOARES, I. H. et al. In vitro activity of essential oils extracted from condiments against fluconazole-resistant and -sensitive Candida glabrata. J Mycol Med, v. 25, n. 3, p.213-217, 2015. doi: 10.1016/j.mycmed.2015.06.003
13 - HOMA, M. et al. Antifungal effect of essential oils against Fusarium keratitis isolates. Planta Med, v. 81, n. 14, p.1277-1284, 2015. doi: 10.1055/s-0035-1546272
14 - MODI, K. K. et al. Cinnamon and its metabolite sodium benzoate attenuate the activation of p21rac and protect memory and learning in an animal model of Alzheimer's disease. PLoS One, v. 10, n. 6, p.1-22, 2015. doi: 10.1371/journal.pone.0130398
15 - MOUSAVI, S. A. A.; KAZEMI, A. In vitro and in vivo antidermatophytic activities of some Iranian medicinal plants. Med Mycol, v. 53, n. 8, p.852-859, 2015. doi: 10.1093/mmy/myv032
16 - ASSADOLLAHI, V. et al. C. zeylanicum aqueous extract induced apoptosis in the human myelocytic leukemia cell line (THP-1). Bratisl Lek Listy, v. 116, n. 2, p.132-135, 2015.
17 - SIENKIEWICZ, M. et al. The biological activities of cinnamon, geranium and lavender essential oils. Molecules, v. 19, n. 12, p.20929-20940, 2014. doi: 10.3390/molecules191220929
18 - LINDEMAN, Z. et al. Assessing the antibiotic potential of essential oils against Haemophilus ducreyi. BMC Complement Altern Med, v. 14, p.1-4, 2014. doi: 10.1186/1472-6882-14-172
19 - SARTORIUS, T. et al. Cinnamon extract improves insulin sensitivity in the brain and lowers liver fat in mouse models of obesity. PLoS One, v. 9, n. 3, p.e92358, 2014. doi: 10.1371/journal.pone.0092358
20 - BAKER, I. et al. Impact of cooking and digestion, in vitro, on the antioxidant capacity and anti-inflammatory activity of cinnamon, clove and nutmeg. Plant Foods Hum Nutr, v. 68, n. 4, p.364-369, 2013. doi: 10.1007/s11130-013-0379-4
21 - GUPTA, A. et al. Comparative evaluation of antimicrobial efficacy of Syzygium aromaticum, Ocimum sanctum and Cinnamomum zeylanicum plant extracts against Enterococcus faecalis: a preliminary study. Int Endod J, v. 46, n. 8, p.775-783, 2013. doi: 10.1111/iej.12058
22 - JANA, A. et al. Up-regulation of neurotrophic factors by cinnamon and its metabolite sodium benzoate: therapeutic implications for neurodegenerative disorders. J Neuroimmune Pharmacol, v. 8, n. 3, p.739-755, 2013. doi: 10.1007/s11481-013-9447-7
23 - TAKASAO, N. et al. Cinnamon extract promotes type I collagen biosynthesis via activation of IGF-I signaling in human dermal fibroblasts. J Agric Food Chem, v. 60, n. 5, p.1193-1200, 2012. doi: 10.1021/jf2043357
24 - JAVED, I. et al. Lipid lowering effect of Cinnamomum zeylanicum in hyperlipidaemic albino rabbits. Park J Pharm Sci, v. 25, n. 1, p.141-147, 2012.
25 - AZEREDO, C. M. et al. In vitro biological evaluation of eight different essential oils against Trypanosoma cruzi, with emphasis on Cinnamomum verum essential oil. BMC Complement Altern Med, v. 14, p.1-8, 2014. doi: 10.1186/1472-6882-14-309.
26 - RASHEED, M. U.; THAJUDDIN, N. Effect of medicinal plants on Moraxella cattarhalis. Asian Pac J Trop Med, v. 4, n. 2, p.133-136, 2011. doi: 10.1016/S1995-7645(11)60053-9
27 - PIRES, R. H. et al. Anticandidal efficacy of cinnamon oil against planktonic and biofilm cultures of Candida parapsilosis and Candida orthopsilosis. Mycopathologia, v. 172, n. 6, p.453-464, 2011. doi: 10.1007/s11046-011-9448-0
28 - ZU, Y. et al. Activities of ten essential oils towards Propionibacterium acnes and PC-3, A-549 and MCF-7 cancer cells. Molecules, v. 15, n. 5, p.3200-3210, 2010. doi: 10.3390/molecules15053200
29 - LU, J. et al. Novel angiogenesis inhibitory activity in cinnamon extract blocks VEGFR2 kinase and downstream signaling. Carcinogenesis, v. 31, n. 3, p.481-488, 2010. doi: 10.1093/carcin/bgp292
30 - PETERSON, D. W. et al. Cinnamon extract inhibits tau aggregation associated with Alzheimer's disease in vitro. J Alzheimers Dis, v. 17, n. 3, p.585-597, 2009. doi: 10.3233/JAD-2009-1083
31 - POZZATTI, P. et al. In vitro activity of essential oils extracted from plants used as spices against fluconazole-resistant and fluconazole-susceptible Candida spp. Can J Microbiol, v. 54, n. 11, p.950-956, 2008. doi: 10.1139/w08-097
32 - UNGSURUNGSIE, M. et al. Mutagenicity of extracts from Ceylon cinnamon in the rec assay. Food Chem Toxicol, v. 22, n. 2, p.109-112, 1984. doi: 10.1016/0278-6915(84)90089-9
33 - SIMIC, A. et al. The chemical composition of some Lauraceae essential oils and their antifungal activities. Phytother Res, v. 18, n. 9, p.713-717, 2004. doi: 10.1002/ptr.1516
34 - HUSSAIN, Z. et al. Protective effects of Cinnamomum zeylanicum L. (Darchini) in acetaminophen-induced oxidative stress, hepatotoxicity and nephrotoxicity in mouse model. Biomed Pharmacother, v. 109, p.2285-2292, 2019. doi: 10.1016/j.biopha.2018.11.123
35 - ABDEEN, A. et al. Protective effect of cinnamon against acetaminophen-mediated cellular damage and apoptosis in renal tissue. Environ Sci Pollut Res Int, v. 26, n. 1, p.240-249, 2019. doi: 10.1007/s11356-018-3553-2
36 - SEDIGHI, M. et al. Protective effects of cinnamon bark extract against ischemia-reperfusion injury and arrhythmias in rat. Phytother Res, v. 32, n. 10, p.1983-1991, 2018. doi: 10.1002/ptr.6127
37 - SOLARTE, A. L. et al. Susceptibility distribution to essential oils of Salmonella enterica strains involved in animal and public health and comparison of the Typhimurium and Enteritidis serotypes. J Med Food, v. 21, n. 9, p.946-950, 2018. doi: 10.1089/jmf.2017.0103
38 - HUSAIN, I. et al. Phytochemical characterization and biological activity evaluation of ethanolic extract of Cinnamomum zeylanicum. J Ethnopharmacol, v. 219, p.110-116, 2018. doi: 10.1016/j.jep.2018.02.001
39 - QADIR, M. M. F. et al. Immunomodulatory and therapeutic role of Cinnamomum verum extracts in collagen-induced arthritic BALB/c mice. Inflammopharmacol, v. 26, n. 1, p.157-170, 2018. doi: 10.1007/s10787-017-0349-9
40 - TUZCU, Z. et al. Cinnamon polyphenol extract inhibits hyperlipidemia and inflammation by modulation of transcription factors in high-fat diet-fed rats. Oxid Med Cell Longev, v. 2017, p.1-10, 2017. doi: 10.1155/2017/1583098
41 - MODI, K. K. et al. Cinnamon converts poor learning mice to good learners: implications for memory improvement. J Neuroimmune Pharmacol, v. 11, n. 4, p.693-707, 2016. doi: 10.1007/s11481-016-9693-6
42 - MADHAVADAS, S.; SUBRAMANIAN, S. Cognition enhancing effect of the aqueous extract of Cinnamomum zeylanicum on non-transgenic Alzheimer's disease rat model: Biochemical, histological, and behavioural studies. Nutr Neurosci, v. 20, n. 9, p.526-537, 2017. doi: 10.1080/1028415X.2016.1194593
43 - HAGENLOCHER, Y. et al. Cinnamon extract reduces symptoms, inflammatory mediators and mast cell markers in murine IL-10(-/-) colitis. J Nutr Biochem, v. 30, p.85-92, 2016. doi: 10.1016/j.jnutbio.2015.11.015
44 - SARIÖZKAN, S. et al. Effects of cinnamon (C. zeylanicum) bark oil against taxanes-induced damages in sperm quality, testicular and epididymal oxidant/antioxidant balance, testicular apoptosis, and sperm dna integrity. Nutr Cancer, v. 68, n. 3, p.481-494, 2016. doi: 10.1080/01635581.2016.115238
45 - ALOTAIBI, M. The effect of cinnamon extract on isolated rat uterine strips. Reprod Biol, v. 16, n. 1, p.27-33, 2016. doi: 10.1016/j.repbio.2015.12.001
46 - MODI, K. K. et al. Sodium benzoate, a metabolite of cinnamon and a food additive, upregulates ciliary neurotrophic factor in astrocytes and oligodendrocytes. Neurochem Res, v. 40, n. 11, p.2333-2347, 2015. doi: 10.1007/s11064-015-1723-x
47 - GAIQUE, T. G. et al. Cinnamon intake reduces serum T3 level and modulates tissue-specific expression of thyroid hormone receptor and target genes in rats. J Sci Food Agric, v. 96, n. 8, p.2889-2895, 2016. doi: 10.1002/jsfa.7460
48 - LOPES, B. P. et al. Cinnamon extract improves the body composition and attenuates lipogenic processes in the liver and adipose tissue of rats. Food Funct, v. 6, n. 10, p.3257-3265, 2015. doi: 10.1039/c5fo00569h
49 - GAVANJI, S.; LARKI, B. Comparative effect of propolis of honey bee and some herbal extracts on Candida albicans. Chin J Integr Med, v. 23, n. 3, p.201-207, 2017. doi: 10.1007/s11655-015-2074-9
50 - CHATTOPADHYAY, P. et al. Essential oil based polymeric patch development and evaluating its repellent activity against mosquitoes. Acta Trop, v. 147, p.45-53, 2015. doi: 10.1016/j.actatropica.2015.03.027
51 - GUNAWARDENA, D. et al. Anti-inflammatory activity of cinnamon (C. zeylanicum and C. cassia) extracts - identification of E-cinnamaldehyde and o-methoxy cinnamaldehyde as the most potent bioactive compounds. Food Funct, v. 6, n. 3, p.910-919, 2015. doi: 10.1039/c4fo00680a
52 - MONDAL, S.; PAHAN, K. Cinnamon ameliorates experimental allergic encephalomyelitis in mice via regulatory T cells: implications for multiple sclerosis therapy. PLoS One, v. 10, n 1, p. 6-26, 2015. doi: 10.1371/journal.pone.0116566
53 - KHAKI, A. et al. The anti-oxidant effects of ginger and cinnamon on spermatogenesis dys-function of diabetes rats. Afr J Tradit Complement Altern Med, v. 11, n. 4, p.1-8, 2014. doi: 10.4314/ajtcam.v11i4.1
54 - OKUTAN, L. et al. High-resolution α-amylase assay combined with high-performance liquid chromatography-solid-phase extraction-nuclear magnetic resonance spectroscopy for expedited identification of α-amylase inhibitors: proof of concept and α-amylase inhibitor in cinnamon. J Agric Food Chem, v. 62, n. 47, p.11465-11471, 2014. doi: 10.1021/jf5047283
55 - MALIK, J. et al. Attenuating effect of standardized lyophilized Cinnamomum zeylanicum bark extract against streptozotocin-induced experimental dementia of Alzheimer's type. J Basic Clin Physiol Pharmacol, v. 26, n. 3, p.275-285, 2015. doi: 10.1515/jbcpp-2014-0012
56 - MUTHENNA, P. et al. Effect of cinnamon and its procyanidin-B2 enriched fraction on diabetic nephropathy in rats. Chem Biol Interact, v. 222, p.68-76, 2014. doi: 10.1016/j.cbi.2014.08.013
57 - JAIN, S. et al. Effect of Cinnamomum zeylanicum extract on scopolamine-induced cognitive impairment and oxidative stress in rats. Nutr Neurosci, v. 18, n. 5, p.210-216, 2015. doi: 10.1179/1476830514Y.0000000113
58 - SHEN, Y. et al. Cinnamon extract enhances glucose uptake in 3T3-L1 adipocytes and C2C12 myocytes by inducing LKB1-AMP-activated protein kinase signaling. PLoS One, v. 9, n. 2, p.1-9, 2014. doi: 10.1371/journal.pone.0087894
59 - BEEJMOHUN, V. et al. Acute effect of Ceylon cinnamon extract on postprandial glycemia: alpha-amylase inhibition, starch tolerance test in rats, and randomized crossover clinical trial in healthy volunteers. BMC Complement Altern Med, v. 14, p.1-11, 2014. doi: 10.1186/1472-6882-14-351
60 - DELETRE, E. et al. Repellent, irritant and toxic effects of 20 plant extracts on adults of the malaria vector Anopheles gambiae mosquito. PLoS One, v. 8, n. 12, p.1-10, 2013. doi: 10.1371/journal.pone.0082103
61 - YÜCE, A. et al. Effectiveness of cinnamon (Cinnamomum zeylanicum) bark oil in the prevention of carbon tetrachloride-induced damages on the male reproductive system. Andrologia, v. 46, n. 3, p.263-272, 2014. doi: 10.1111/and.12072
62 - NYADJEU, P. et al. Acute and chronic antihypertensive effects of Cinnamomum zeylanicum stem bark methanol extract in L-NAME-induced hypertensive rats. BMC Complement Altern Med, v. 13, p.1-10, 2013. doi: 10.1186/1472-6882-13-27
63 - GHOSH, V. et al. Antibacterial microemulsion prevents sepsis and triggers healing of wound in wistar rats. Colloids Surf B Biointerfaces, v. 105, p.152-157, 2013. doi: 10.1016/j.colsurfb.2013.01.009 
64 - BOQUÉ, N. et al. Screening of polyphenolic plant extracts for anti-obesity properties in Wistar rats. J Sci Food Agric, v. 93, n. 5, p.1226-1232, 2013. doi: 10.1002/jsfa.5884
65 - YÜCE, A. et al. Effects of cinnamon (Cinnamomum zeylanicum) bark oil on testicular antioxidant values, apoptotic germ cell and sperm quality. Andrologia, v. 45, n. 4, p.248-255, 2013. doi: 10.1111/and.12000
66 - NYADJEU, P. et al. Antihypertensive and vasorelaxant effects of Cinnamomum zeylanicum stem bark aqueous extract in rats. J Complement Integr Med, v. 8, n. 1, p.1-20, 2011. doi: 10.2202/1553-3840.1490
67 - SHEN, Y. et al. Verification of the antidiabetic effects of cinnamon (Cinnamomum zeylanicum) using insulin-uncontrolled type 1 diabetic rats and cultured adipocytes. Biosci Biotechnol Biochem, v. 74, n. 12, p.2418-2425, 2010. doi: 10.1271/bbb.100453
68 - UNLU, M. et al. Composition, antimicrobial activity and in vitro cytotoxicity of essential oil from Cinnamomum zeylanicum Blume (Lauraceae). Food Chem Toxicol, v. 48, n. 11, p.3274-3280, 2010. doi: 10.1016/j.fct.2010.09.001
69 - MISHRA, A. et al. Ameliorative effect of the cinnamon oil from Cinnamomum zeylanicum upon early stage diabetic nephropathy. Planta Med, v. 76, n. 5, p.412-417, 2010. doi: 10.1055/s-0029-1186237
70 - TSUJI-NAITO, K. et al. Aldehydic components of cinnamon bark extract suppresses RANKL-induced osteoclastogenesis through NFATc1 downregulation. Bioorg Med Chem, v. 16, n. 20, p.9176-9183, 2008. doi: 10.1016/j.bmc.2008.09.036
71 - BHATTACHARJEE, S. et al. Inhibition of lipid peroxidation and enhancement of GST activity by cardamom and cinnamon during chemically induced colon carcinogenesis in Swiss albino mice. Asian Pac J Cancer Prev, v. 8, n. 4, p.578-582, 2007.
72 - SUGANTHI, R. et al. Effect of food seasoning spices mixture on biomarkers of oxidative stress in tissues of fructose-fed insulin-resistant rats. J Med Food, v. 10, n. 1, p.149-153, 2007. doi: 10.1089/jmf.2005.058
73 - ROFFEY, B. et al. Cinnamon water extracts increase glucose uptake but inhibit adiponectin secretion in 3T3-L1 adipose cells. Mol Nutr Food Res, v. 50, n. 8, p.739-745, 2006. doi: 10.1002/mnfr.200500253
74 - PRAJAPATI, V. et al. Insecticidal, repellent and oviposition-deterrent activity of selected essential oils against Anopheles stephensi, Aedes aegypti and Culex quinquefasciatus. Bioresour Technol, v. 96, n. 16, p.1749-1757, 2005. doi: 10.1016/j.biortech.2005.01.007
75 - CHERICONI, S. et al. In vitro activity of the essential oil of Cinnamomum zeylanicum and eugenol in peroxynitrite-induced oxidative processes. J Agric Food Chem, v. 53, n. 12, p.4762-4765, 2005. doi: 10.1021/jf050183e
76 - VERSPOHL, E. J. et al. Antidiabetic effect of Cinnamomum cassia and Cinnamomum zeylanicum in vivo and in vitro. Phytother Res, v. 19, n. 3, p.203-206, 2005. doi: 10.1002/ptr.1643
77 - KAMATH, J. V. et al. Pro-healing effect of Cinnamomum zeylanicum bark. Phytother Res, v. 17, n. 8, p.970-972, 2003. doi: 10.1002/ptr.1293
78 - DHULEY, J. N. et al. Anti-oxidant effects of cinnamon (Cinnamomum verum) bark and greater cardamom (Amomum subulatum) seeds in rats fed high fat diet. Indian J Exp Biol, v. 37, n. 3, p.238-242, 1999. 
79 - ATTA, A. H.; ALKOFAHI, A. Anti-nociceptive and anti-inflammatory effects of some Jordanian medicinal plant extracts. J Ethnopharmacol, v. 60, n. 2, p.117-124, 1998. doi: 10.1016/S0378-8741(97)00137-2
80 - SAMBAIAH, K.; SRINIVASAN, K. Effect of cumin, cinnamon, ginger, mustard and tamarind in induced hypercholesterolemic rats. Nahrung, v. 35, n. 1, p.47-51, 1991. doi: 10.1002/food.19910350112
81 - RAJ, R. K. Screening of indigenous plants for anthelmintic action against human Ascaris lumbricoides: Part-II. Indian J Physiol Pharmacol, v. 19, n. 1, p.1-3, 1975.
82 - HAGENLOCHER, Y. et al. Cinnamaldehyde is the main mediator of cinnamon extract in mast cell inhibition. Eur J Nutr, v. 54, n. 8, p.1297-1309, 2015. doi: 10.1007/s00394-014-0810-0
83 - ABAASZADEGAN, A. et al. Antimicrobial and cytotoxic activity of Cinnamomum zeylanicum, calcium hydroxide, and triple antibiotic paste as root canal dressing materials. J Contemp Dent Pract, v. 17, n. 2, p.105-113, 2016.
84 - BENTO-BERNARDES, T. et al. Maternal cinnamon extract intake during lactation leads to sex-specific endocrine modifications in rat offspring. J Sci Food Agric, v. 97, n. 11, p.3855-3863, 2017. doi: 10.1002/jsfa.8253 
85 - GARCÍA-ABUJETA, J. L. et al. Mud bath dermatitis due to cinnamon oil. Contact Dermatitis, v. 52, n. 4, p.234. doi: 10.1111/j.0105-1873.2005.0566h.x
86 - MATEOS-MARTÍN, M. L. et al. Profile of urinary and fecal proanthocyanidin metabolites from common cinnamon (Cinnamomum zeylanicum L.) in rats. Mol Nutr Food Res, v. 56, n. 4, p.671-675, 2012. doi: 10.1002/mnfr.201100672
87 - SHARIFIFAR, F. et al. Bioassay screening of the essential oil and various extracts from 4 spices medicinal plants. Pak J Pharm Sci, v. 22, n. 3, p.317-322, 2009. 
88 - BENARROZ, M. O. et al. Cinnamomum zeylanicum extract on the radiolabelling of blood constituents and the morphometry of red blood cells: in vitro assay. Appl Radiat Isot, v. 66, n. 2, p.139-146, 2008. doi: 10.1016/j.apradiso.2007.08.004
89 - DOMARACKÝ, M. et al. Effects of selected plant essential oils on the growth and development of mouse preimplantation embryos in vivo. Physiol Res, v. 56, n. 1, p.97-104, 2007. 
90 - SHAH, A. H. et al. Toxicity studies in mice of common spices, Cinnamomum zeylanicum bark and Piper longum fruits. Plant Foods Hum Nutr, v. 52, n. 3, p.231-239, 1998. Doi: 10.1023/A:1008088323164

Referências bibliográficas

1 - BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira 1ª edição. Brasília: Anvisa, p. 26, 2011.
2 - BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira 2ª edição. Brasília: Anvisa, p. 54, 2021.

Dados Químicos
[ 1 , 2 ]
Marcador:
Principais substâncias:

Cumarinas

Gomas

Mucilagens

Óleos essenciais

α- e β-pineno, α-felandreno, p-cimeno, limoneno, linalol, α-copaeno, β-cariofileno, cariofileno, trans-cinamaldeído, benzaldeído, vanilina, metilcetona, cineol, cuminaldeído, aldeído cinâmico, ácido trans-cinâmico, hidroxicinamaldeído, Δ-cadineno, metoxicinamaldeído, eugenol, felandreno, linalol, cinamil acetato, benzoato de benzila e álcool benzílico.

Outras substâncias

oxalato de cálcio, cinceilanina, cinceilanol, açúcares, álcool cinâmico, proantocianidinas, procianidinas polimérica e catequina.

Resinas

Taninos

condensados.

Referências bibliográficas

1 - BARNES, J. et al. Plantas medicinales. 1 ed. Barcelona: Pharma Editores, S.L., 2005, p. 124.
2 - FERRO, D. & PEREIRA, A. M. S. Fitoterapia: Conhecimentos tradicionais e científicos, vol. 1. 1 ed. São Paulo: Bertolucci, 2018, p. 238-239. 

Propagação: 

é realizada por sementes [ 1 ] .

Tratos culturais & manejo: 

sensível à geadas e climas instáveis [ 1 ] .

Referências bibliográficas

1 - FERRO, D. & PEREIRA, A. M. S. Fitoterapia: Conhecimentos tradicionais e científicos, vol. 1. 1 ed. São Paulo: Bertolucci, 2018, p. 238. 

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2019
Arquivo: PDF icon Download (455.07 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2019
Arquivo: PDF icon Download (241.89 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2019
Arquivo: PDF icon Download (291.07 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2019
Arquivo: PDF icon Download (233.26 KB)

Tipo: Internacional
Tipo de Monografia: Medicamentos e Produtos de Saúde do Canadá
Ano de Publicação: 2018
Arquivo: PDF icon Download (76.32 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2017
Arquivo: PDF icon Download (237.88 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2017
Arquivo: PDF icon Download (368.67 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2017
Arquivo: PDF icon Download (229.51 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2017
Arquivo: PDF icon Download (624.14 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Sistema de Farmacovigilância de Plantas Medicinais
Ano de Publicação: 2013
Arquivo: PDF icon Download (468.88 KB)

Tipo: Internacional
Tipo de Monografia: Agência Europeia de Medicamentos
Ano de Publicação: 2011
Arquivo: PDF icon Download (133.25 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2010
Arquivo: PDF icon Download (308.8 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 2000
Arquivo: PDF icon Download (78.78 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1959
Arquivo: PDF icon Download (34.4 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1959
Arquivo: PDF icon Download (60.12 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1959
Arquivo: PDF icon Download (112.14 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1959
Arquivo: PDF icon Download (40.51 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1926
Arquivo: PDF icon Download (99.75 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1926
Arquivo: PDF icon Download (29.18 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1926
Arquivo: PDF icon Download (31.47 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1926
Arquivo: PDF icon Download (44.74 KB)

Tipo: Nacional
Tipo de Monografia: Farmacopeia
Ano de Publicação: 1926
Arquivo: PDF icon Download (74.49 KB)

Tipo: Internacional
Tipo de Monografia: Organização Mundial de Saúde
Arquivo: PDF icon Download (85.27 KB)

Parceiros